#12 – Como Empreender em Tempos de Crise

· Adicionar Comentário
ArtesaoEmpreendedor

Como se não bastassem as dificuldades próprias de se manter uma empresa de uma só pessoa, ultimamente o país vem passando por uma crise econômica muito séria, o que acaba prejudicando ainda mais o que já não era tão fácil. E para quem não tem emprego nenhum, esse parece ser o pior momento para começar a colocar em prática uma ideia, ainda que a princípio ela pareça promissora.

Mas crise política à parte, sempre existe uma luz no fim do túnel. Ou quatro! Vamos ver agora quatro pontos bem específicos em que podemos focar para dar os primeiros passos no caminho de uma trajetória rentável sem ter que investir um dinheiro que não temos.

20160520_Scrappiness_Empreender_Tempos_Crise

1 – Faça uma lista das suas competências.

Essa semana eu estava conversando com meu filho sobre o escambo. Na verdade, era ele que me contava como era o comércio antes de existir a moeda. Então eu ressaltei a importância de que cada um se dedique àquilo que sabe fazer bem. Se eu sei plantar, mas não entendo nada de armas, posso trocar dois sacos de milho por algumas lanças. Dessa maneira, quem sabe fazer lanças não morre de fome e eu consigo me defender. É o que se chama win-win situation, ou situação onde todos saem ganhando.

Pode até ser que esse papo de escambo tenha te acendido algumas luzinhas na cachola, mas não é por esse caminho que eu quero enveredar. A ideia aqui é manter o foco na nossa aptidão, nos nossos dons, naquilo que levamos dentro e que sabemos que conseguimos fazer bem.

Mas por onde começar? Pelo mais simples, é claro! Aqui vão algumas ideias:

  • Cozinhar – Doces, comidas salgadas, refeições, bolos, comidas especiais, tipo sem glúten ou sem lactose ou qualquer outro quitute que seja resultado da sua mágica (porque cozinhar é algo mágico!)
  • Arrumar casas e espaços – Diferente de fazer faxina, o personal organizer pode ser contratado para arrumar armários e cômodos na casa do cliente.
  • Ensinar – Aulas particulares de matérias escolares, aulas online ou via Skype, aulas particulares de algum esporte, aulas particulares de qualquer outra coisa que você saiba fazer!
  • Fazer serviços que as pessoas não estão dispostas a fazer – E nessa categoria podemos incluir absolutamente tudo! Levar o(s) cachorro(s) do(s) vizinho(s) para passear, realizar pequenos serviços em casa, como colocar quadros na parede ou instalar a antena da TV, passar roupa, fazer a compra do mercado, entre outras muitas coisas.
  • Oferecer serviços que as pessoas precisam – Cuidar de crianças e idosos, ser motorista particular, ser assistente particular.

Repare que cada uma dessas atribuições podem ser vistas como aptidões particulares, então tudo o que você tem a fazer é listar o que você sabe fazer bem e o que você pode oferecer às pessoas.

2 – Encontre as pessoas que precisam do que você tem a oferecer.

Da mesma forma que você procura por aquilo que precisa, muitas pessoas podem estar procurando por aquilo que você tem a oferecer. Você começará a ganhar dinheiro quando elas te encontrarem e se convencerem que você é a solução para os problemas que elas têm! Nesse ponto já temos dois fatores: o primeiro é encontrar as pessoas; o segundo é convencê-las.

Dependendo das suas aptidões, daquilo que você listou no ponto 1, as pessoas que precisam do que você tem a oferecer podem estar nos mais diferentes lugares. Mas não se desespere, porque existe um atalho: hoje em dia todo mundo está na internet! E isso é um fato, quer a gente goste ou não. Então, o caminho lógico é usar as redes sociais para entrar em contato com potenciais clientes e expor o seu produto. Mas antes de sair por aí se apresentando, você precisa de uma boa carta de apresentação, ou seja, a sua imagem (guarde este ponto que já voltaremos a ele).

Para convencer as pessoas que você é uma pessoa honesta, excelente profissional e oferece um serviço de qualidade, você precisa mostrar um pouco de si, do que sabe fazer. E nessa hora, a primeira impressão é a que fica, a sua quanto e as de seus produtos e/ou serviços. Por isso, cuidar da imagem é essencial (pronto, voltamos à questão da imagem).

Como vocês podem ver, imagem é fundamental, tanto para encontrar potenciais clientes quanto para convencê-los de que você é a melhor escolha que eles têm! E isso nos leva ao seguinte ponto…

3 – Apresente uma imagem impecável.

Existem muitas abordagens para a questão da imagem. A primeira é sem dúvida a sua marca. Invista tempo e cuidado para selecionar o nome que você quer usar profissionalmente e abra um e-mail com esse nome (não precisa ser em domínio próprio se você não tiver dinheiro para investir – ainda).

Geralmente o nome vem atrelado a um logotipo. O mesmo cuidado que você tem com sua roupa antes de sair de casa, tenha com a imagem do seu negócio. Escolha cuidadosamente sua imagem, sua identidade visual. Ainda que isso normalmente seja um serviço caro, você pode encontrar profissionais qualificados que fazem um serviço de qualidade a um preço acessível (eu por exemplo!). Pesquise, compare, encontre o profissional que consiga refletir o seu estilo, para que a sua marca fique com a sua cara. Seu cliente tem que se apaixonar!

Uma vez que você tenha a sua imagem definida, direcione o foco para o público. Monte um blog para apresentar seus produtos e serviços, escolha boas fotos (que podem ser tiradas com o seu celular), abra uma página do Facebook, se apresente para seus amigos mais próximos e conte sobre o que você está fazendo, entre em grupos do mesmo nicho que o seu, comece a se relacionar com as pessoas, conecte!

O maior segredo para boas vendas é uma boa conexão, uma sintonia que surge entre um potencial cliente e a sua marca. Quando o cliente chega até você e começa a descobrir o que você tem a oferecer, imediatamente uma conexão é criada. Ou não. Por esse motivo não vendemos as mesmas coisas a todas as pessoas, porque não conseguimos nos conectar da mesma forma com todas elas.

E se você ainda não entendeu esse ponto da conexão, pense em você mesmo. Qual sua marca de sapatos favorita? Por que? Da mesma forma que você sentiu uma conexão com essa marca, as pessoas – seus clientes! – sentirão uma conexão com a sua marca. Por isso a questão da imagem é tão importante. Você precisa ser autêntico e sua marca deve levar consigo o estilo que você imprime ao seu produto e aos seus serviços.

4 – Use o que você tem.

Sim, o dinheiro está curto e por esse motivo você deve gastá-lo de forma consciente. Avalie cuidadosamente onde você tem que gastar dinheiro (leia-se INVESTIR) e onde você pode economizar. Para ter uma ideia mais clara, aproveite tudo o que você puder, recicle, use várias vezes, peça emprestado para amigos e parentes, pelo menos no início. Agora é hora de dar os primeiros passos com muita coragem e garra, porque tudo pode dar errado, mas tudo pode dar certo!

Dê o seu melhor, pense em tudo o que você pode fazer sozinho, invista apenas naquilo que você sabe que outras pessoas fazem melhor que você e siga em frente. Ainda que você precise se capacitar, pense que o momento é de muita cautela e jogar com o que você já tem em mãos é mais seguro. Faça uma lista de tudo aquilo que custa dinheiro e veja quais são os pontos imprescindíveis neste momento inicial. Abra mão do que pode ficar para depois e volte a analisar sua lista em alguns meses. Com certeza você já vai ter tido algum retorno e vai poder continuar investindo no seu negócio!

Boa sorte!

E não deixe de ler os outros artigos da série!

Artesão Empreendedor # 11 – Novos rumos no caminho de sempre
Artesão Empreendedor # 10 – Seu estilo, sua marca
Artesão Empreendedor # 9 – Feedback dos clientes
Artesão Empreendedor # 8 – Repensando seu negócio craft
Artesão Empreendedor # 7 – Não deixe a peteca cair quando as vendas caem
Artesão Empreendedor # 6 – Ao alcance de um clic
Artesão Empreendedor # 5 – Boas práticas em blogs
Artesão Empreendedor # 4 – Forma vs. Conteúdo
Artesão Empreendedor # 3 – Conteúdo
Artesão Empreendedor # 2 – Por onde começar (e continuar)
Artesão Empreendedor # 1 – Introdução

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>